Premiado
Selecção Fórum
Quinta da Carregosa Origens Reserva Especial
Tinto
2011
Douro
Preços
Sócio
31,35 Gfa
62,70 Cx
Não Sócio
33,00 Gfa
66,00 Cx
Vendido em cx de 2 gfa x (0,75l)
  • Notas de prova
  • Prémios
Cor rubi-granada com bordos atijolados. Aroma complexo, exótico e intenso frutado, notas de frutos secos, frutos vermelhos maduros e de especiarias. Na boca é elegante, muito envolvente, fresco e volumoso com fortes notas de fruta, baunilha e uva passa. Final longo, muito equilibrado e persistente.
Medalha de Ouro – Fórum de Enólogos Julho 2020
Designação Oficial: 
D.O.C.

Temperatura de Serviço: 

16/18ºC

Teor alcoólico: 

17.00%vol

Longevidade: 

15 a 20 anos

Harmonizações: 

  • Carnes assadas |
  • Caça |
  • Borrego |
  • Cabrito |
  • Cozinha tradicional portuguesa e queijos.

Situações de consumo: 

Com a refeição
Vinificação: 
Vindima manual de lotes selecionados. Esmagamento e desengace total. Maceração pré-fermentativa durante 24 horas. Fermentação com controlo de temperatura. Estágio de 12 meses em pequenas cubas de inox. Após o engarrafamento o vinho estagiou em garrafa 3 anos antes de ser comercializado.
  • Castas
  • Região
  • Enólogo
  • Produtor

Touriga Franca

Touriga Nacional

Douro

collapse

Durante a ocupação romana já se cultivava a vinha e se fazia vinho nos vales do Alto Douro. A história da região é simultaneamente fascinante e cruel, desde os tempos imemoriais em que o Douro era sobretudo esforço e violência, que foi amansando e evoluindo, permitindo-nos desfrutar de uma das mais espantosas "paisagem cultural, evolutiva e viva" do país, actualmente reconhecida como Património Mundial pela UNESCO.

De salientar também o facto de ter sido a primeira região demarcada e regulamentada do mundo, aquando da criação pelo Marquês de Pombal, da Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro, em 1756.

A região, rica em microclimas como consequência da sua acidentada orografia, divide-se em três sub-regiões - Baixo Corgo, Cima Corgo e Douro Superior, produzindo-se em cada uma delas vinhos de qualidade brancos, tintos e rosados, vinhos espumantes, licorosos e ainda aguardentes de vinho com especificidades próprias.

Da globalidade do volume de vinho produzido na Região Demarcada do Douro, cerca de 50% é destinada à produção de "Vinho do Porto", enquanto que o restante volume é destinado à produção de vinhos de grande qualidade que utilizam a denominação de origem controlada "Douro" ou "Vinho do Douro".

Merece também destaque o Vinho Regional Duriense cuja região de produção é coincidente com a Região Demarcada do Douro.

Fonte: Instituto da Vinha e do Vinho, I.P.

Observações dos produtores acerca deste vinho: 
Quinta da Carregosa Origens é um vinho que presta homenagem aos fundadores da Quinta da Carregosa. Em 1909, José da Costa [1884-1970], e mais tarde o seu filho Serafim Costa [1909-2000], homens com saber experiência no cultivo da vinha, procederam à remoção do xisto maciço nos difíceis socalcos da Balsa do Douro e iniciaram a construção de muros e patamares, plantando vinha de castas autóctones. É destas vinhas centenárias que nasce o Origens, um vinho de qualidade, com carácter e tradição.

Quinta da Carregosa

collapse

O projeto da marca Quinta da Carregosa consiste na produção de vinhos de quinta. As primeiras vinhas foram plantadas há cerca de 80 anos e o seu solo foi removido de forma manual num esforço ímpar, que só os homens do Douro foram capazes de conseguir. As vinhas da Quinta da Carregosa estendem-se por uma encosta xistosa de cerca de 40 hectares, que beneficiam de uma exposição solar privilegiada, e que se elevam a uma altitude de entre os 200 e 500 metros do nível do mar. Atualmente a quinta possui uma grande diversidade de castas autóctones, criteriosamente escolhidas em função da especificidade do seu terroir, para assim se obterem vinhos de quinta premium e de forte identidade.

A HISTORIA
Em 1909, José da Costa, um homem duriense já com saber, feito da luta e da experiência da vinificação do vinho do Porto e apaixonado por esta zona bela que lhe enche a alma, constrói a Quinta da Carregosa. O seu filho, Serafim da Costa, foi um extraordinário apoiante e impulsionador, tanto com o seu labor como com o seu entusiasmo e pedagogia. Maria Irene Costa e Manuel Costa, filha e neto de Serafim da Costa, herdam um passado e ao qual dão continuidade com o mesmo trabalho duro e persistente. Fernando Costa, jovem enólogo e filho de Manuel Costa, traz consigo a inovação, os conhecimentos técnico-científicos, a vontade de dar continuidade ao legado familiar, projetando, assim, um futuro de excelência na produção e comercialização das marcas da agora denominada Carregosa Vinhos Lda. O forte investimento realizado nas vinhas e em equipamento nos últimos anos atesta a confiança e delineia objetivos que os proprietários têm no seu projeto.