Esporão Quatro Castas
Tinto
2017
Alentejo
Preços
Sócio
9,41 Gfa
56,46 Cx
Não Sócio
9,90 Gfa
59,40 Cx
Vendido em cx de 6 gfa x (0,75l)
  • Notas de prova

Cor rubi concentrada. Aroma de frutos vermelhos (groselha) e azuis (mirtilos, amoras), com notas florais (violetas). Na boca é fresco, elegante e equilibrado, com muito boa acidez e taninos firmes. Final longo.

Designação Oficial: 
Regional

Temperatura de Serviço: 

16/18ºC

Teor alcoólico: 

14.00%vol

Longevidade: 

6 a 7 anos

Harmonizações: 

  • Peixes Gordos |
  • borrego e caça.

Situações de consumo: 

Com a refeição
Vinificação: 
Vinificação separada por castas. Fermentação com temperaturas controladas (22º a 25ºC) em lagares com pisa a pé, cubas de betão e cubas de inox. Estagio de seis meses entre cubas de betão e barricas de carvalho francês, seguido de mais seis meses em garrafa.
  • Castas
  • Região
  • Enólogo
  • Produtor

Alfrocheiro

Alicante Bouschet

Syrah

Touriga Nacional

Alentejo

collapse

O plantio da vinha nesta região data do período romano, como atestam vestígios vários dessa época, nomeadamente graínhas de uva descobertas nas ruínas de São Cucufate, perto da Vidigueira, e alguns lagares romanos.Os primeiros documentos escritos sobre o plantio da vinha datam do século XII.

Na imensidão de horizontes planos, ou quase planos, o Alentejo tem como acidentes orográficos mais importantes as serras de Portel (421 m), Ossa (649 m) e S. Mamede (1025 m).

É no entanto nas elevações isoladas que se geram os microclimas propícios ao plantio da vinha e que conferem qualidade às massas vínicas.

A posição meridional e a ausência de relevos importantes são responsáveis pelas características Mediterrânica e Continental do clima. A insolação tem valores bastante elevados, o que se reflecte na maturação das uvas, principalmente nos meses que antecedem a vindima, conferindo às uvas uma desejável acumulação dos açúcares e de matérias corantes na película dos bagos.

As vinhas localizam-se na sua maioria, em substrato geológico de rochas plutónicas (granitos, tonalitos, sienitos e sienitos nefelínicos), sendo contudo de salientar a diversidade de manchas pedológicas nas quais as vinhas são instaladas (nomeadamente manchas xistosas e argilo-calcárias).

É igualmente importante referir que os melhores terrenos são eleitos para a cultura cerealífera e exploração agro-pecuária, enquanto que a vinha e a oliveira, dada a sua rusticidade, assentam nos solos com fraca capacidade de uso.

A similitude das características organolépticas dos vários VQPRD do Alentejo acrescida pelo facto de o consumidor os associar genericamente à referida menção, justificam a Denominação de Origem "Alentejo", na qual estão incluídas as seguintes 8 sub-regiões: "Portalegre", "Borba", "Redondo", "Reguengos", "Vidigueira", "Évora", "Granja-Amareleja" e "Moura".

O Vinho Regional "Alentejano" é produzido em toda a região vitivinícola Alentejo. 

 

Fonte: Instituto da Vinha e do Vinho, I.P.

Observações dos produtores acerca deste vinho: 
O desafio para os enólogos de encontrar as quatro castas que, neste ano, apresentam a maior empatia e, em conjunto, produzem um perfil de vinho complexo e distinto. Em 2017 o Outono e o Inverno foram mais frios e chuvosos do que no ano anterior, registando-se os maiores níveis de precipitação e as temperaturas mais baixas entre Novembro e Fevereiro. Ainda assim, a temperatura e precipitação estiveram dentro dos valores médios dos últimos 18 anos. A Primavera teve temperaturas mais altas que em 2016, levando à antecipação dos estados fenólicos. De Fevereiro a Agosto/Setembro, durante o ciclo vegetativo, as temperaturas médias foram mais elevadas do que a média, com o seu pico a 13 de Julho com uma temperatura máxima de 46,3ºC, percebendo-se desde logo que a maturação ocorreria mais cedo.

Esporão

collapse

Esporão S.A. é o Grupo que tem por vocação a produção de vinhos e azeites portugueses de excelência, e que reúne os projectos Herdade do Esporão e Quinta dos Murças.

Herdade do Esporão

As raízes da Herdade do Esporão, e a sua tradição vitícola, remontam aos tempos pré-históricos das culturas megalíticas e da Idade do Bronze. Porém, já durante a ocupação romana, os vinhos, do então povoamento do Esporão, eram exportados para todo o Império. Os limites da Herdade foram estabelecidos em 1267 e foram mantidos, praticamente inalterados, desde a sua constituição.

Em pleno coração do Alentejo, 600 Hectares de vinha das melhores castas, abraçam uma enorme barragem, num clima e geologia de excepção. A Herdade do Esporão engarrafou o seu primeiro vinho em 1985 e em 1997 iniciou a produção de azeites virgens e extra virgens, tendo recentemente plantado 82 hectares de Olival. Ainda em 1997, é inaugurado o Enoturismo, o primeiro a ser certificado em Portugal. A Herdade do Esporão está, ainda, altamente comprometida com a defesa da Biodiversidade. Este compromisso ficou formalizado pela assinatura dos acordos “Business & Biodiversity” e “Countdown 2010”www.countdown2010.net), tendo sido a primeira empresa de vinhos do mundo a fazê-lo.

Quinta dos Murças

Juntou-se ao universo Esporão em Outubro de 2008. Localizada no Cima Corgo, numa extensão de 3,2 km da margem norte do Rio Douro e área total de 150 hectares, a Quinta dos Murças é uma quinta clássica do Douro, composta por 60 hectares de vinhas, com diferentes idades e exposições, respeitando as curvaturas e declives naturais do terreno. Os restantes hectares que compõem a Quinta dos Murças são constituídos por cerca de 6.000 pés de oliveiras, um laranjal e ainda cerca de 70 hectares de terreno florestal, com aptidão para novos plantios.

HISTÓRIA

1973 – Aquisição da Herdade do Esporão e constituição da Finagra por parte de José Roquette e Joaquim Bandeira.

1985 – Primeira colheita e nascimento da marca Esporão.

1989 – Início do processo de exportação dos vinhos Herdade do Esporão.

1992 – José Roquette lança uma Oferta Pública de Aquisição sobre a totalidade do capital da sociedade e torna-se no seu único accionista. Inicia-se um novo ciclo de desenvolvimento na história da empresa.

1994 – Eng. João Dotti assume a liderança executiva do projecto.

1995 – Compra da Herdade dos Perdigões, com 155 ha de vinha de grande qualidade; - É fundada a Qualimpor, no Brasil, com o objectivo de importar e comercializar as marcas do Esporão no Brasil.

1996 – Descoberta do Complexo Arqueológico dos Perdigões.

1997 – Certificação do Sistema de Qualidade da empresa, tornando-se a primeira empresa a obter a certificação no seu sector e a ter a vinha incluída no âmbito da certificação; - Entrada no mercado do azeite com a aquisição da SPAZA - Sociedade Produtora de Azeites do Alentejo, a actual Esporão Azeites.

2001 – Finagra reconhecida como “Empresa do Ano” pela Revista de Vinhos; - Finagra apontada como benchmarck pela reconhecida revista “Time”. Artigo de capa.

2004 – Inauguração do Núcleo Expositivo do Complexo Arqueológico dos Perdigões, instalado na Torre do Esporão.

2005 – Compra de 30% na distribuidora de vinhos e espirituosas PrimeDrinks.

2006 – Alteração na liderança executiva da empresa. João Roquette sucede a João Dotti.

2007 – Reforço para 50% de capital na estrutura accionista da PrimeDrinks; – Esporão atinge liderança na venda de vinhos de qualidade em Portugal; – Adesão ao Countdown 2010, uma iniciativa mundial cujo objectivo é parar a perda da biodiversidade a nível local, nacional, regional e global; – Estabelecimento de um Memorando de Entendimento com o Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB), no âmbito da iniciativa “Business & biodiversity”.

2008 – Aquisição da Quinta dos Murças, na região do Douro, no seguimento da estratégia de crescimento e diversificação do projecto da empresa; – É fundada a Esporão Wines and Olive Oils nos EUA com o objectivo de alargar a comercialização dos produtos Esporão nos EUA.

2009 – Alteração da identidade corporativa de Finagra S.A. para Esporão S.A.; – Renovação da identidade visual e dos produtos e criação de um novo logótipo institucional; – Eleição do Esporão como Empresa do Ano 2008, pela segunda vez, pela Revista de Vinhos; – Esporão é convidado a fazer parte do “Business Council for Sustainable Development”.