Novidade
Premiado
Selecção Fórum
Destaque
Inevitável
Tinto
2016
Douro
Preços
Sócio
22,80 Gfa
68,40 Cx
Não Sócio
24,00 Gfa
72,00 Cx
Vendido em cx de 3 gfa x (0,75l)
  • Notas de prova
  • Prémios
Cor rubi. Aroma fresco e frutado. Notas de frutos negros, de especiarias e balsâmicas. Excelente boca, bem estruturada, leve acidez a dar frescura, frutado com bom volume e profundidade. Termina longo e muito persistente.

Medalha de Ouro – Fórum de Enólogos Junho 2018

90 pontos – Wine Advovate

Designação Oficial: 
Regional

Temperatura de Serviço: 

16/18º

Teor alcoólico: 

14.00%vol

Longevidade: 

10 anos

Harmonizações: 

  • Queijos |
  • Enchidos |
  • Carnes vermelhas |
  • Borrego |
  • Caça |
  • e pratos da cozinha tradicional portuguesa e bacalhau regado em azeite.

Situações de consumo: 

Com a refeição
Observações de consumo: 
Este vinho não foi filtrado nem estabilizado, pelo que poderá formar depósito.
Vinificação: 
Desengace total seguido de maceração a frio durante 4 dias. Fermentação com controlo de temperatura em lagares com robot “pigeur”. Segue-se uma fermentação maloláctica em barricas novas de carvalho francês onde estagiou por 14 meses em barricas de carvalho francês.
  • Castas
  • Região
  • Enólogo
  • Produtor

Syrah

Touriga Nacional

Douro

collapse

Durante a ocupação romana já se cultivava a vinha e se fazia vinho nos vales do Alto Douro. A história da região é simultaneamente fascinante e cruel, desde os tempos imemoriais em que o Douro era sobretudo esforço e violência, que foi amansando e evoluindo, permitindo-nos desfrutar de uma das mais espantosas "paisagem cultural, evolutiva e viva" do país, actualmente reconhecida como Património Mundial pela UNESCO.

De salientar também o facto de ter sido a primeira região demarcada e regulamentada do mundo, aquando da criação pelo Marquês de Pombal, da Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro, em 1756.

A região, rica em microclimas como consequência da sua acidentada orografia, divide-se em três sub-regiões - Baixo Corgo, Cima Corgo e Douro Superior, produzindo-se em cada uma delas vinhos de qualidade brancos, tintos e rosados, vinhos espumantes, licorosos e ainda aguardentes de vinho com especificidades próprias.

Da globalidade do volume de vinho produzido na Região Demarcada do Douro, cerca de 50% é destinada à produção de "Vinho do Porto", enquanto que o restante volume é destinado à produção de vinhos de grande qualidade que utilizam a denominação de origem controlada "Douro" ou "Vinho do Douro".

Merece também destaque o Vinho Regional Duriense cuja região de produção é coincidente com a Região Demarcada do Douro.

Fonte: Instituto da Vinha e do Vinho, I.P.

Observações dos produtores acerca deste vinho: 
Apenas será produzido nos anos em que a qualidade máxima for atingida, sendo sempre diferente e Inevitável provar. Para tal, em cada ano de produção do Inevitável, escolhemos criteriosamente as melhores uvas das duas castas que apresentarem maior potencial. É um vinho muito encorpado, envolvente, de aromas intensos e complexos, de enorme longevidade e com uma forte personalidade que acompanha pratos confecionados e queijos diversos.

Casa de Santa Vitória

collapse

Fundada em 2002, a Casa de Santa Vitória é uma empresa do Grupo Vila Galé focada na produção e comercialização de vinhos e azeites Alentejanos de qualidade.
Em plena planície alentejana, tem cerca de 102 ha de vinha e 90 ha de Olival e uma adega com uma área bruta de construção de cerca de 5.000 m2 e onde os visitantes podem acompanhar toda a produção e provar os vinhos.
A Casa de Santa Vitória privilegia as mais avançadas tecnologias de vinificação para produzir vinhos modernos, preservando, no entanto, aquilo em que o tradicional acrescenta mais valias qualitativas, incluindo um lagar de pisa a pé e a vindima manual para os vinhos Super Premium.