Novidade
Esporão Verdelho
Branco
2016
Alentejo
Preços
Sócio
9,50 Gfa
57,00 Cx
Não Sócio
10,00 Gfa
60,00 Cx
Vendido em cx de 6 gfa x (0,75l)
  • Notas de prova

Cor amarelo-citrino cristalina. Aroma típico da casta, notas de maracujá, tangerina e lima. Na boca é fresco, elegante e intenso, com notas minerais. Final longo e delicado.

Designação Oficial: 
Regional

Temperatura de Serviço: 

10/12ºC

Teor alcoólico: 

13.00%vol

Longevidade: 

3 a 4 anos

Harmonizações: 

  • Aperitivos |
  • Ostras |
  • Cozinha oriental.

Situações de consumo: 

Aperitivo
Com a refeição
Sozinho
Vinificação: 
Esmagamento dos cachos em prensa pneumática. Decantação estática do mosto. Fermentação em inox com controlo de temperatura. Filtração antes do engarrafamento.
  • Castas
  • Região
  • Enólogo
  • Produtor

Verdelho

Alentejo

collapse

O plantio da vinha nesta região data do período romano, como atestam vestígios vários dessa época, nomeadamente graínhas de uva descobertas nas ruínas de São Cucufate, perto da Vidigueira, e alguns lagares romanos.Os primeiros documentos escritos sobre o plantio da vinha datam do século XII.

Na imensidão de horizontes planos, ou quase planos, o Alentejo tem como acidentes orográficos mais importantes as serras de Portel (421 m), Ossa (649 m) e S. Mamede (1025 m).

É no entanto nas elevações isoladas que se geram os microclimas propícios ao plantio da vinha e que conferem qualidade às massas vínicas.

A posição meridional e a ausência de relevos importantes são responsáveis pelas características Mediterrânica e Continental do clima. A insolação tem valores bastante elevados, o que se reflecte na maturação das uvas, principalmente nos meses que antecedem a vindima, conferindo às uvas uma desejável acumulação dos açúcares e de matérias corantes na película dos bagos.

As vinhas localizam-se na sua maioria, em substrato geológico de rochas plutónicas (granitos, tonalitos, sienitos e sienitos nefelínicos), sendo contudo de salientar a diversidade de manchas pedológicas nas quais as vinhas são instaladas (nomeadamente manchas xistosas e argilo-calcárias).

É igualmente importante referir que os melhores terrenos são eleitos para a cultura cerealífera e exploração agro-pecuária, enquanto que a vinha e a oliveira, dada a sua rusticidade, assentam nos solos com fraca capacidade de uso.

A similitude das características organolépticas dos vários VQPRD do Alentejo acrescida pelo facto de o consumidor os associar genericamente à referida menção, justificam a Denominação de Origem "Alentejo", na qual estão incluídas as seguintes 8 sub-regiões: "Portalegre", "Borba", "Redondo", "Reguengos", "Vidigueira", "Évora", "Granja-Amareleja" e "Moura".

O Vinho Regional "Alentejano" é produzido em toda a região vitivinícola Alentejo. 

 

Fonte: Instituto da Vinha e do Vinho, I.P.

Observações dos produtores acerca deste vinho: 
Verdelho é um vinho regional alentejano que resulta desta casta branca com excelente adaptação ao terroir da Herdade do Esporão, pretendendo realçar as suas características singulares. Este vinho realça a mineralidade, frescura e exotismo desta casta, tipicamente utilizada nos vinhos da Madeira. Expressa o potencial desta casta que, harmonizada com os solos e o clima da Herdade do Esporão, originando um vinho varietal aromático, equilibrado e único. Em 2016 a Primavera teve temperaturas mais baixas e maior humidade do que em anos anteriores – condições climatéricas ideais para as doenças fúngicas nas videiras, implicando um cuidado acrescido nas vinhas para evitar os ataques de míldio. As temperaturas mais frescas nesta altura do ano proporcionaram um período de crescimento vegetativo mais longo e, apesar do calor que se fez sentir a partir de Julho, o início da vindima aconteceu cerca de 10 dias mais tarde do que o habitual. O tempo quente continuou ao longo da colheita, a qualidade da fruta foi excelente e, apesar do calor, os níveis de açúcar permaneceram normais, com a acidez um pouco mais baixa do que o normal.

Esporão

collapse

Esporão S.A. é o Grupo que tem por vocação a produção de vinhos e azeites portugueses de excelência, e que reúne os projectos Herdade do Esporão e Quinta dos Murças.

Herdade do Esporão

As raízes da Herdade do Esporão, e a sua tradição vitícola, remontam aos tempos pré-históricos das culturas megalíticas e da Idade do Bronze. Porém, já durante a ocupação romana, os vinhos, do então povoamento do Esporão, eram exportados para todo o Império. Os limites da Herdade foram estabelecidos em 1267 e foram mantidos, praticamente inalterados, desde a sua constituição.

Em pleno coração do Alentejo, 600 Hectares de vinha das melhores castas, abraçam uma enorme barragem, num clima e geologia de excepção. A Herdade do Esporão engarrafou o seu primeiro vinho em 1985 e em 1997 iniciou a produção de azeites virgens e extra virgens, tendo recentemente plantado 82 hectares de Olival. Ainda em 1997, é inaugurado o Enoturismo, o primeiro a ser certificado em Portugal. A Herdade do Esporão está, ainda, altamente comprometida com a defesa da Biodiversidade. Este compromisso ficou formalizado pela assinatura dos acordos “Business & Biodiversity” e “Countdown 2010”www.countdown2010.net), tendo sido a primeira empresa de vinhos do mundo a fazê-lo.

Quinta dos Murças

Juntou-se ao universo Esporão em Outubro de 2008. Localizada no Cima Corgo, numa extensão de 3,2 km da margem norte do Rio Douro e área total de 150 hectares, a Quinta dos Murças é uma quinta clássica do Douro, composta por 60 hectares de vinhas, com diferentes idades e exposições, respeitando as curvaturas e declives naturais do terreno. Os restantes hectares que compõem a Quinta dos Murças são constituídos por cerca de 6.000 pés de oliveiras, um laranjal e ainda cerca de 70 hectares de terreno florestal, com aptidão para novos plantios.

HISTÓRIA

1973 – Aquisição da Herdade do Esporão e constituição da Finagra por parte de José Roquette e Joaquim Bandeira.

1985 – Primeira colheita e nascimento da marca Esporão.

1989 – Início do processo de exportação dos vinhos Herdade do Esporão.

1992 – José Roquette lança uma Oferta Pública de Aquisição sobre a totalidade do capital da sociedade e torna-se no seu único accionista. Inicia-se um novo ciclo de desenvolvimento na história da empresa.

1994 – Eng. João Dotti assume a liderança executiva do projecto.

1995 – Compra da Herdade dos Perdigões, com 155 ha de vinha de grande qualidade; - É fundada a Qualimpor, no Brasil, com o objectivo de importar e comercializar as marcas do Esporão no Brasil.

1996 – Descoberta do Complexo Arqueológico dos Perdigões.

1997 – Certificação do Sistema de Qualidade da empresa, tornando-se a primeira empresa a obter a certificação no seu sector e a ter a vinha incluída no âmbito da certificação; - Entrada no mercado do azeite com a aquisição da SPAZA - Sociedade Produtora de Azeites do Alentejo, a actual Esporão Azeites.

2001 – Finagra reconhecida como “Empresa do Ano” pela Revista de Vinhos; - Finagra apontada como benchmarck pela reconhecida revista “Time”. Artigo de capa.

2004 – Inauguração do Núcleo Expositivo do Complexo Arqueológico dos Perdigões, instalado na Torre do Esporão.

2005 – Compra de 30% na distribuidora de vinhos e espirituosas PrimeDrinks.

2006 – Alteração na liderança executiva da empresa. João Roquette sucede a João Dotti.

2007 – Reforço para 50% de capital na estrutura accionista da PrimeDrinks; – Esporão atinge liderança na venda de vinhos de qualidade em Portugal; – Adesão ao Countdown 2010, uma iniciativa mundial cujo objectivo é parar a perda da biodiversidade a nível local, nacional, regional e global; – Estabelecimento de um Memorando de Entendimento com o Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB), no âmbito da iniciativa “Business & biodiversity”.

2008 – Aquisição da Quinta dos Murças, na região do Douro, no seguimento da estratégia de crescimento e diversificação do projecto da empresa; – É fundada a Esporão Wines and Olive Oils nos EUA com o objectivo de alargar a comercialização dos produtos Esporão nos EUA.

2009 – Alteração da identidade corporativa de Finagra S.A. para Esporão S.A.; – Renovação da identidade visual e dos produtos e criação de um novo logótipo institucional; – Eleição do Esporão como Empresa do Ano 2008, pela segunda vez, pela Revista de Vinhos; – Esporão é convidado a fazer parte do “Business Council for Sustainable Development”.